Arquivar abril 26, 2016

Entenda como funciona o selo de verificação do Facebook

Sabe aquela bolinha que fica ao lado do nome Start-It Tecnologia na nossa página do Facebook? Aquilo é um selo que o Facebook concede para atestar que aquele espaço realmente representa quem diz representar.

O ícone de verificação vai para celebridades, jornalistas, funcionários de governo, marcas populares, empresas, entre outros. “Verificamos perfis ou páginas a fim de ajudar você a certificar-se de que essas pessoas são autênticas”, explica a empresa.

“Lembre-se de que nem todos os perfis e páginas autênticas são verificadas, e você não pode solicitar que seu perfil ou sua página seja verificada”, continua ao Facebook, que informa: “Você pode denunciar contas falsas se passando por você, sua empresa ou sua marca.”

Por que isso é importante?

1 – Após a certificação, ninguém mais pode reivindicar o nome a sua marca no Facebook e solicitar tomar posse da pagina.

2 – Páginas verificadas aparecem em posição mais alta nos resultados de busca.

3 – Mais credibilidade para quem as visita sua pagina.

É o próprio Facebook que decide quando e por que certificar uma página, nós da Start-It Tecnologia e Marketing Digital, ajuda a sua empresa a verificar sua pagina de  de forma simples, garantindo sua marca e melhores posições nas buscas.

Cidade do Google? Alphabet quer construir uma cidade do zero com base na internet.

Em seu primeiro ano de existência, a Sidewalk Labs, empresa de inovação urbana da Alphabet, também dona do Google, tem trabalhado em produtos para melhorar o acesso Wi-Fi e os fluxos de tráfego nas cidades. Mas há sinais de que a companhia esteja interessada na construção de uma cidade.

O CEO da Sidewalk Labs, Dan Doctoroff, deu a entender, durante uma conferência, que a empresa esteja avaliando a possibilidade de construir uma cidade a partir do zero, após ser questionado sobre a contratação de consultores para trabalharem nesse projeto. “Seria uma grande ideia”, disse ele em resposta, embora salientando: “eu não posso te dizer nada”.

cidade_google

Uma metrópole baseada na internet permitiria repensar o governo, políticas sociais e gestão urbana. Assim, a empresa teria um local para testar melhor suas iniciativas, para lança-las mais rápido no mercado. “Cidades existentes são difíceis. Você tem pessoas com interesses próprios, política, espaço física. Mas a tecnologia, em última análise, não pode ser interrompida”, explica Doctoroff.

O Google tem trabalhado, desde 2014, com a ideia de melhorar a forma como as cidades funcionam, o que mostra, junto com o lançamento da Sidewalk Labs no ano passado, que a companhia está focada em ramificar-se para quase todos os mercados possíveis.

Via 9to5Google

Táxis em São Paulo terão de aceitar cartão a partir desta terça

A partir desta terça-feira (5), todos os táxis da capital paulista terão de contar com máquinas de cartão de crédito e débito como opção para pagamento das corridas.

Quem for flagrado em uma fiscalização sem o equipamento poderá ser multado em R$ 32,40 e receber cinco pontos em seu prontuário na prefeitura. Em caso de reincidência, o valor e a pontuação dobram.

Os passageiros que usarem táxis que não aceitem cartões poderão reclamar por e-mail (dtpsac@prefeitura.sp.gov.br) ou telefone (2692-3302). A fiscalização será feita pelos mesmos agentes da prefeitura que atualmente fiscalizam os táxis. É necessário informar a placa do veículo e o horário da corrida.

O início da obrigatoriedade do uso das máquinas havia sido adiado duas vezes pela prefeitura, a pedido dos taxistas. O decreto, de novembro, definiu ainda que os táxis devem ter carregadores para eletrônicos.

O presidente do Sinditaxi (Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo), Natalício Bezerra Silva, disse neste domingo (3) que pediu ao DTP (Departamento de Transportes Públicos) nova prorrogação da medida, mas a resposta foi negativa. “Pedi [a prorrogação], mas já me disseram que não vão prorrogar. Então, os taxistas devem ter a maquininha”, afirmou.

A Secretaria Municipal de Transportes, da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), informou também que o prazo de fiscalização dos taxistas não foi prorrogado.



DECRETO

Segundo o decreto publicado em novembro de 2015, as máquinas são acessíveis para os taxistas e existe a necessidade de “aprimorar a prestação de serviço”, tornando mais seguro e fácil pagar por uma corrida de táxi.

O decreto também definiu que os táxis deveriam contar com carregadores para aparelhos eletrônicos, como computadores portáteis, tablets e celulares.

As regras de conduta dos taxistas da capital estão valendo desde o início do ano. Pelas regras, os motoristas de praça precisam trabalhar com roupa social ou esporte chique (calça jeans, sapatênis ou sapato social e camisa social), manter barba e cabelos arrumados e camisa abotoada e limpa. Também devem evitar odores como suor, cigarro e perfume forte.

Pelo manual de “boas maneiras”, os taxistas devem recepcionar os passageiros com “alegria e otimismo”, não falar palavrões, fazer piadas constrangedoras ou praticar atos de preconceito.

A portaria também proibia os taxistas a conversar com os passageiros sobre problemas particulares ou da categoria, esportes, política ou religião.

Porém, após repercussão negativa das regras, a prefeitura voltou atrás e liberou os motoristas a conversarem sobre qualquer assunto com os passageiros.