Arquivar agosto 30, 2016

Boletos maliciosos

Cuidado com os boletos maliciosos de registro de domínios

Algumas empresas se aproveitam da ingenuidade de pessoas leigas à internet para enviar boletos muito parecidos graficamente com os boletos enviados pelo Registro.br para vender serviços não solicitados.

Atualmente todos os nossos clientes recebem instruções para pagar somente os boletos enviados através do nosso setor de cobrança ou pelo endereço de e-mail: [email protected]

Tomem cuidado com os boletos enviados pelo correio, pois o Registro.br não envia mais este tipo de correspondência. Eles enviavam no passado, mas depois desta onda de envios de boletos maliciosos e alguns até falsos e passíveis de fraude o NIC.br optou por manter apenas o sistema online e hoje até aceitam Cartão de Crédito para o pagamento dos registros.

Mesmo com todos os avisos, é grande a quantidade de clientes que nos ligam perguntando se um determinado boleto enviado por correio é verdadeiro ou se trata de um tipo de boleto malicioso. Devido a isso achamos necessária a criação deste post afim de mostrar como diferenciar um boleto malicioso de um boleto verdadeiro.

Veja abaixo um exemplo de boleto que oferece um serviço de Hospedagem / Registro não solicitado.

9xOSH

Bem a grande polemica é como estas empresas continuam livremente emitindo estes boletos, sem nenhuma intervenção. É claramente um boleto que tenta iludir os usuários dos serviço de registro de domínios.

Gostaríamos de respostas das autoridades competentes, pois é uma clara tentativa de levar o consumidor ao erro e contratar um serviços que não precisa.

A Registro.br esclarece:

Em razão de continuadas tentativas de iludir a boa fé dos usuários do Registro brasileiro, alertamos para que prestem atenção aos boletos recebidos que não sejam provenientes de seu provedor de hospedagem habitual.

Boletos do Registro.br devem ser obrigatoriamente emitidos através do nosso website. O Registro.br não envia mais boletos por via postal em nenhuma circunstância. Boletos emitidos no site do Registro.br, referentes ao pagamento do registro e manutenção de domínio sob o “.br”, possuem as seguintes informações:

CEDENTE NIC.br – CNPJ 05.506.560/0001-36
BANCO 237-2 – Bradesco
AGÊNCIA/CÓDIGO CEDENTE 2370-1 / 0029998-7

Observem também na parte superior do boleto a existência do logotipo do Registro.br e os dados do NIC.br, conforme imagem abaixo:

Dados do Boleto

O valor é de R$ 30,00 por 1 ano de registro de domínio.

Para mais anos e valores dos descontos, acesse esta página: http://registro.br/suporte/boleto-malicioso.html

Se você recebeu um boleto como o mostrado acima, verifique se o mesmo é referente ao seu serviço de hospedagem ou se realmente é do Registro.br.

Suporte via telefone Facebook e Instagram

Nos dias 23,24 a 25 de agosto participamos para Latam Retail Show (www.latamretailshow.com.br) no Expo Center Norte – São Paulo / Brasil, para conferir em especial o Stand do Facebook  / Instagram.

Telefone do Facebook e Instagram

[sociallocker]

O Facebook tem planos ousados para o Brasil, diferente do Google, não contam com um suporte via telefone em português para agências, todo atendimento é feito via e-mail, ou formulário de dúvidas.

A promessa que isso mude em breve, mais ainda sem data definida, a empresa acredita no potencial do mercado brasileiro que se mantém como principal mercado na américa latina, o país tem quase o dobro de usuários que o segundo colocado, o México.

O Facebook atingiu a marca de 108 milhões de usuários mensais no Brasil, segundo Diego Dzodan, vice-presidente da rede social na América Latina. Os resultados mantiveram o país como principal mercado da região.

Quem esteve no Latam Retail Show teve a oportunidade de tirar dúvidas em um suporte especializado em uma área reservada, além de palestras sobre anúncios e muitas outras novidades.

O suporte vindo para o Brasil será muito bem-vindo, pois algumas dúvidas não são respondidas, alguns anúncios ainda são feitos com dificuldade por parte dos usuários.

14088658_1649889985300919_2889571074169360188_n

Com um Stand em forma de container, da ao entender que eles desembarcam deves no Brasil para ações publicitarias.

 [/sociallocker]

Problemas com Repetidor de sinal Multilaser RE051

Testamos o repetidor sinal Multilaser RE051, para o teste compramos em um varejista no valor de R$ 79,00. Já pelo preço ficamos um pouco desconfiados é uma das mais baratas do mercado.

No início vimos uma boa embalagem, manual em português e interface em português. Para iniciantes isso seria ótimo e simples certo? Ainda mais com um assistente de configuração simples de usar, isso o repetidor de sinal Multilaser RE051 tem tudo isso.

[sociallocker]

Iniciamos as configurações e funcionou inicialmente muito bem obrigado.

Resolvemos fazer várias conexões e deixar alguns dias ele ligado, como deveria ser o seu uso, em 3 dias ele começou a falhar. Reiniciamos o equipamento e ele voltou normalmente por 24 horas e o mesmo problema começou a apresentar.

Resolvemos investigar na página do fabricante, encontramos a seguinte no atendimento online:

https://www.multilaser.com.br/atendimento_online.php

mutilaser_erro

 

Bem resolvemos fazer uma pesquisa da internet para verificar se alguém já passou pelo mesmo problema, e encontramos inúmeros casos semelhantes, em alguns casos a solução é atualização de Firmwares.

Fizemos uma busca a atrás desta atualização na página do fabricante:

http://dados.multilaser.com.br/sac/Produtos/EquipamentosDeRede/Firmwares%20e%20Drivers/

 

mutilaser_atualizacao

 

Bem se alguém conseguir encontrar atualização para um produto nesta bagunça me avisa.

Não tivemos sucesso na atualização o equipamento encontra-se com o mesmo problema após um tempo funcionando ele para de navegar mas continua com sinal.

Recomendamos a compra de outros aparelhos, como TP-Link, D Link ou Intelbras.

Teste feito por: Ricardo Gomes

 

[/sociallocker]

 

Olimpíadas e Pokémon Go pra todo o lado!

Está em pleno Rio de Janeiro curtindo os jogos, a brisa e tirando suas fotos e eis que do nada saca o celular para capturar um novo Pokémon. Essa é a febre do momento e aproveitando o clima olímpico e esta novidade, o Hemorio do Rio de Janeiro está em campanha para ampliar as doações de sangue neste período.

Com a sala de coletas repleta de Pokémons, o Hemorio apela para esta novidade para chamar a atenção para as doações de sangue, o que se torna ainda mais relevante nesta época de jogos olímpicos, pois o  volume de pessoas aumenta exponencialmente e os bancos precisam se preparar para esta demanda.

Esta é a mensagem no Facebook do Hemorio:

“Eles já chegaram aqui no Hemorio também! Aproveite o feriado para salvar vidas e se tornar um mestre Pokemon! Estamos abertos das 7 às 18 horas. Dúvidas sobre a doação, ligue para o disque-sangue (0800-282-0708). ‪#‎vemdoar‬ ‪#‎pokemongo‬ ‪#‎pokemon‬“. Se sentiu empolgado e esta na região? Dá uma passada por lá, é rapidinho! Outras informações no site: https://www.hemorio.rj.gov.br ou mesmo no facebook do Hemorio: @hemoriodoesangue.

Nessa onda eles saem na frente e continuam com uma campanha que usa de temas olímpicos para continuar empolgando. Fique a par de tudo no site deles.

Hemorio-Olimpiadas2016

Doe Sangue nas Olimpíadas 2016 (Foto: Divulgação Facebook Hemorio)

Nossa dica estratégica é que é interessante recorrer a sacadas como esta para fomentar seu negócio. Fique atento a novidades e aos top trends e assim use de muita criatividade e não perca tempo para se tornar destaque no meio desse mar de notícias!

 

A MORTE [✞] DO GOOGLE PLUS, Qual é o futuro do Google+?

Qual é o uso que você dá para o Google Plus? Aliás, o que caracteriza o comportamento e engajamento da maioria dos usuários presentes nesta rede social?

Será que chegou a hora do fim do Google Plus? Última: Qual é o futuro do Google+?

Não dá pra duvidar que o crescimento dessa rede social foi vertiginoso, principalmente quando comparado com outras redes sociais. Pra você ter uma ideia, Facebook e Twitter levaram aproximadamente três anos para exibirem números como 90 milhões de usuários. Já o nosso amigo Google+ precisou de somente seis meses para dividir o mesmo título. Impressionante.

Google+ tem probleminha

Por outro lado, não podemos esquecer que o aumento de usuários se relacionava diretamente à obrigatoriedade de possuir uma conta para interagir com com funções como comentários do Youtube. Por isso, quando nos garantimos em estatística pura, pode até parecer que o Google+ não parou de crescer e de se converter num sucesso de público e crítica, mas… a coisa não é bem assim.

A ideia original da rede era dar aos usuários a possibilidade de terem uma identidade única na web. Esse perfil poderia migrar de plataforma em plataforma e ainda assim manter um controle centralizado. Ponto positivo? Tudo ficara vinculado ao mesmo user, dava pra acessar o histórico de uma rede ou compartilhar conteúdos de outras de forma simples e direta. Ainda assim, ter um centro de comando – no melhor estilo Panóptipo de Benthamnão era o que muitos usuários queriam.

3

Outro probleminha que a rede enfrentou foi o desconforto de alguns usuários sobre algumas informações solicitadas no momento de criar um novo perfil. entrar pro Google+ significava necessariamente ter que escolher entre as opções “Feminino”, “Masculino” e “outros” na parte onde se define o gênero. Em pleno século XXI, Google?Lógico que alguém – ou muita gente – ia se queixar.

E se a voz do povo é a voz de Deus, tá complicado pro Google+:

Preto no branco

Mas o Google não é Goole à tôa. Quando começou a perceber a insatisfação dos usuários, Bradley Horowitz (VP, Photos and Streams no Google) comandou a iniciativa de dar vários passos e algumas integrações entre plataformas foram desligadas. Um exemplo é a o Hangouts, que há alguns meses deixou de mostrar o perfil social dos contatos que figuram em nossas listas. O seletor de gênero também foi reconfigurado e os ajustes de privacidade permitem modificações.

E como era de se esperar, a estratégia macro anunciada começou a ser notada no Google+. Nas declarações feitas por Bradley, a mudança de direção era uma questão de espera. Com a decisão, parece que os novos responsáveis pelo Google+ começaram a considerar a opinião dos usuários.

4

Acredita-se que a plataforma voltará a compor o universo web como mais um serviço do gigante das buscas, e não como o único destino possível. Segundo o Marketing4ecommerce, o processo de desvinculação continuará. A ideia é que a plataforma se alinhe novamente com a ideia original de ser um ambiente virtual no qual os usuários interajam ao redor de interesses comuns.

Você pode até dar uma olhada por si mesmo no anúncio feito por Horowitz em Julho deste mesmo ano de 2015 na nota Everything in its right place.

Dissecando o Google+

Muita opinião e poucos dados concretos até agora. Pois vamos dar uma olhada em algumas estatísticas que podem ajudar a entender o panorama da plataforma. Pra começar, uma reflexão: já que todo mundo que tem um Gmail automaticamente ganha uma conta no G+, será que todos efetivamente usem a rede social?

Atualmente, há cerca de 2,3 bilhões de perfis no Google+. Número impressionante, mas qual é o nível de envolvimento efetivo na plataforma? O problema é que algumas redes sociais, mesmo com um menor número de usuários, têm níveis de engagement muito mais altos.

Hora de dar uma olhada na comparação entre quantidade de perfis e de usuários ativos em cada rede. AGlobalWebIndex fez um estudo em 2015 e os dados são esclarecedores:

graf01

Outras conclusões do estudo indicam números que o Google+ não devem curtir muito ou “dar +1”:

– Somente 212 milhões de perfis, do total de mais de 2 bilhões de usuários são considerados ativos;

– 90% das contas estão absolutamente vazias. Fato que se explica quando entendemos que muitos deste usuários concordaram em criar o perfil (tentando usar outros serviços) mas que realmente nunca se interessaram por compartilhar conteúdo neste canal.

Quando passamos o pente fino comparando quantidade de usuários X quantidade de postagens:

  • 1,93 milhões de usuários fizeram mais de 10 postagens no mês passado
  • 21,8 milhões de usuários postaram 10 ou mais vezes em toda a sua história na plataforma
  • 6,65 milhões de usuários publicaram 50 ou mais vezes em todo o seu período no G+

google plus

google plus

Pra você ter uma ideia, o New York times chamou o G+ de “cidade fantastma”, duro golpe, e vindo de uma fonte bastante lida e respeitada. Outro canal que teu um tapa com luva de veludo  foi o TechCrunch: “walking dead”. E olha que estamos falando da segunda maior rede social do mundo – em termos estatísticos de quantidade de usuários. “Está cheio de fantasmas” foi a declaração da web Gundotra. É muito pra passar despercebido, a internet está de olho no futuro do G+ e a  expectativa não é necessariamente otimista.

Mesmo assim, vamos dar uma olhada como anda disputa dos quatro primeiros postos quando comparamos as maiores redes sociais da atualidade. Obviamente, o primeiro lugar pertence ao Facebook, com uma representativa quantidade de visitas diárias girando na casa dos 830 milhões de acessos. Em segundo, o Twitter exibe números na casa dos 65 milhões, seguido pelo Google Plus com 37 milhões e, por último, o Linkedin fecha a conta com quase 19 milhões de acessos.

E como a distância entre o primeiro e os outros colocados é realmente enorme, vejamos alguns gráficos comparando os 2o, 3o e 4o postos. Na comparação páginas por visita, o G+ salta para o primeiro posto.

google plus

Depois de um tempo competindo de forma acirrada, o g+ dá a sensação de que tomou distância em relação ao Linkedin e ao Twitter quando nos referimos à relação páginas por visita. Por outro lado, o bounce rate  do G+ é bem maior que o dos seus competidores diretos. E se fosse o caso de excluir da comparação as visitas simples de cada página, o Google Plus teria ainda mais vantagem que as duas outras redes.

google plus

E quando finalmente comparamos a integração dos conteúdos existentes no G+ em relação às pesquisas no buscador do Google, perceberemos que a comparativa com o Twitter é muito mais favorável ao Google Plus.

Uma métrica que reforça algo que já comentamos anteriormente é a que dá ao G+ uma grande vantagem, em relação às outras duas redes, no que diz respeito à criação de postagens com conteúdos de outros meios. Aparentemente, as pessoas preferem compartilhar posts, imagens e outros tipos de conteúdos no G+. No caso do uso social do G+ no Brasil, dá pra perceber que a maioria dos nossos contatos publica mais conteúdos de terceiros do que peças próprias.

Algo que também faz pensar sobre o G+ e de certa forma consegue seduzir os marketeiros é o impacto das publicações no Google Plus sobre o SEO das páginas. É notável como o uso de keywords, conteúdos específicos e social signals provenientes dessa rede afetam o posicionamento das páginas no rank do Google.

Pra fechar

Não, o G+ não morreu e nem vai morrer agora, pode ficar tranquilo. Aliás, a rede merece atenção e fique ligado no que vem por aí. O Google não vai desistir tão fácil da plataforma e, cá entre nós, se você faz sucesso com seu marketing no Google+, não mude tudo só por causa de alguns rumores.

stay

Mesmo assim, investir numa estratégia multi-plataforma pode ser interessante para ver em qual delas você tem que tipo de feedback e engagement dos usuários. O postCron tem ótimas funcionalidades pra você que publica no google Plus, e se quiser fazer algum comentário, será super bem-vindo, estamos todos curiosos sobre novas perspectivas e sobre o futuro do Google Plus. Espero você por aqui  no próximo post!

via postCron:http://goo.gl/xpOzyJ