Conheça o WhatsApp Business e tenha duas contas no mesmo celular.

Atendendo uma solicitação que já vem a tempos o WhatsApp neste dia 25 de janeiro libera a versão Business. Assim o usuário com duas operadoras no mesmo celular pode usar um para mensagens particulares e divulgar somente o seu numero comercial.

É cada vez mais comum receber instruções de contato apontando para o WhatsApp, criando um ambiente mais amistoso e com uma comunicação mais ágil e direta.

A ideia de desenvolver uma aplicação focada para negócios surgiu de forma orgânica. Com empresas explorando o potencial do aplicativo, a necessidade de funcionalidades mais robustas e direcionadas para o público empresarial se tornou evidente.

(25/01) foi liberado oficialmente, somente para Android, o WhatsApp Business.

Aqui está tudo o que você precisa saber sobre o aplicativo.

WhatsApp Business transforma seu número em empresa

Após baixar o aplicativo e realizar as configurações, seu número é vinculado ao nome da sua empresa, sendo impossível modificá-lo futuramente. Por isso, é bom ter cuidado na hora de definir as configurações iniciais.

A modificação é feita sem perder as conversas anteriores que já existiam no Whatsapp.

As conversas inciadas também recebem um aviso de que a comunicação pode ser comercial, alertando o usuário que a conta pertence a uma empresa.

WhatsApp Business também permite uma personalização completa do perfil da empresa, com endereço, site e outras informações, como pode ser visto na imagem abaixo:

 

Etiquetas

Outra funcionalidade importante e focada no público de vendas são as etiquetas personalizadas, permitindo categorizar informações importantes sobre o status de seus clientes.

Automação de respostas

Nem sempre estamos disponíveis quando o cliente inicia uma conversa, e deixar o cliente sem resposta pode influenciar negativamente no no andamento negócio.

O WhatsApp Business traz um simples, mas eficiente sistema de respostas automáticas. Oferecendo opções de Mensagem de Ausência, que permite definir o horário de funcionamento.

O aplicativo também oferece uma Saudação Automática para quando receber uma mensagem pela primeira vez ou após 14 dias de inatividade do cliente.

Quem vende também precisa repetir muitas respostas com frequência. Transmitir informações sobre produtos, planos de vendas e outros detalhes é parte da rotina do vendedor.

Pensando nisso o WhatsApp Business trouxe o que considero a melhor funcionalidade dessa fase inicial do produto. No aplicativo é possível automatizar respostas para serem utilizadas através de pequenos comandos, como por exemplo /obrigado, que entrega uma resposta rápida de agradecimento.

A funcionalidade sem dúvida pode reduzir em muito o tempo de resposta e aumentar a produtividade de vendas.

O Whatsapp vem se mostrando um excelente amigo do profissional de vendas, trazendo boas novidades e agregando ainda mais praticidade ao cotidiano de quem vende.

 

Memes: amá-los ou odiá-los?

Os memes são tão famosos que quase não é preciso explicar. Mas, resumidamente, tem uma enorme capacidade de replicar informação e viralizar na web por meio de vídeos, imagens ou gifs.

Só que diferente de qualquer outro vídeo, imagem ou gif que faz sucesso nas redes sociais, o meme reflete uma ideia ou um conceito, e geralmente com bom humor.

[sociallocker]

A vida útil dificilmente passa de duas semanas, e todos os dias centenas nascem e morrem. Mas, há os memes que se transformam, e dão origem a diversas variações por meio da interação com outras pessoas e contextos.

Um exemplo em 2016 foi o gatinho do Thug Life, que emprestou seus óculos de sol e música para dezenas de outros personagens, desde os mais comuns com cenas do cotidiano até debates políticos de candidatos.

Os memes são realmente a prova de que a tecnologia revolucionou as formas de comunicação, e as agências ficam ligadas nessa tendência para aproveitá-los em campanhas publicitárias e de marketing digital.

Como surgem os memes?

O start é geralmente em sites de fóruns e nas redes sociais, e qualquer pessoa com criatividade, habilidades básicas de comunicação e um pouco de tempo livre pode criá-los.

Exemplos de tecnologias e aplicativos para desenvolver as peças são: Pext, Best Meme Generator by Memeful, o Meme Generator Free, o Meme Generator by MemeCrunch e o Aviary Photo Editor.

Para uma boa comunicação, não há preocupação com estética das peças e a interação é uma ferramenta chave. Os temas mais recorrentes derivam de um acontecimento específico ou envolvem situações totalmente banais, que retratam o dia-a-dia de forma cômica e satírica.

Memes famosos

Para se inspirar, vamos ver quais os memes que fizeram história em 2016:

O garotinho do “você tem que amadurecer” bombou nas redes sociais no final do ano e gerou muitas adaptações com base no original.

O John Travolta confuso, em cena retirada do filme Pulp Fiction, também marcou presença no WhatsApp e nas redes sociais e deu origem a muitas mutações.

Apesar de um ano difícil para a política e a economia do Brasil, não faltou bom-humor para falar da operação lava jato.

Quem não lembra de memes com o japonês da federal, com o Anthony Garotinho e brincando com o apego de Eduardo Cunha ao Congresso?

Também dominaram os meios de comunicação os memes da Glória Maria fumando maconha na Jamaica para gravar o Globo Repórter. A participação da Glória Pires durante a cerimônia do Oscar e as imagens da Bela Gil sugerindo trocar uma coisa por outra.

Nosso país é definitivamente composto por pessoas criativas e bem humoradas, que parecem estar a postos para quaisquer deslizes.

Hoje, qualquer assunto, post ou momento pode virar um meme, então tome cuidado, todos podemos ser os próximos protagonistas! E você ama ou odeia esta nova modalidade de humor?

[/sociallocker]

Use hashtags e consiga melhores resultados

As hashtags tomaram conta das postagens de toda a internet. São o start para conversas e temas de assuntos e estão presentes em praticamente todas as redes sociais. São muito usadas pelas pessoas em geral e pelas agências de marketing digital que apostam neste método para incrementar seus resultados.

Mas, você sabe para elas realmente servem e como usá-las ao seu favor?

Use hashtags e consiga melhores resultados

Elas estão lá, nas redes sociais, nas páginas de busca e em postagens em blogs e vídeos espalhados pela internet. Mas para que elas servem?

Na verdade nada mais são do que marcações que ajudam na busca e dão o start para encontrarmos o que desejamos.

Quando você procura algo utilizando este artifício consegue encontrar muito mais facilmente todas as postagens e publicações que foram feitas dentro do mesmo assunto.

É como se elas tivessem uma etiqueta, assim, os resultados da busca ficam mais otimizados e você não perde tempo com assuntos que não tenham a ver com o que você procura.

Funcionalidade #

A tecnologia tem um desempenho ainda melhor nas redes sociais. Por lá, quando você clica em uma hashtag, você é imediatamente levado a uma página de resultados com todas as postagens que utilizaram o mesmo termo.

Esta tecnologia é utilizada também para se conquistar mais visibilidade. A mesma técnica também pode ser utilizada para a divulgação de eventos e movimentos da sociedade em geral.

Aliás, em eventos, o uso das hashtags é ainda mais efetivo, já que facilita a comunicação via rede social, entre todos que participam daquele momento.

Não é raro encontrarmos também o uso de hashtags como forma de protesto. Unindo postagens e opiniões de pessoas que pensam da mesma forma.

Então tente incrementar sua postagem com o uso de hashtags do momento. Utilize assuntos mais falados e tente emplacar sua HASHTAG!

Saiba aqui quais Hashtags estão em destaque no momento.

Redes Sociais no Brasil e no mundo

As redes sociais tem crescido rapidamente e com elas uma nova forma de sociabilizar e de promover negócios com o marketing digital.

O sucesso é tanto que a cada ano surgem novos canais e outras dezenas entram em declínio. Então quais as redes sociais mais acessadas no Brasil e no mundo? E quais outras curiosidades este universo nos conta?

Em termos globais, se as redes sociais fossem países, o Facebook seria maior que a China! Isso mesmo. De acordo com o relatório da consultoria Statista, em 2017 a mídia mais popular do mundo superou 1,8 bilhões de usuários ativos por mês.

O Facebook já tinha sido a primeira rede social a alcançar a marca de 1 bilhão de usuários em 2014, e continua crescendo. Agora, além das pessoas que usam o canal para interação e compartilhamento, ele também está atraindo o mundo dos negócios e as agências de comunicação.

O Facebook Ads faz sucesso tanto com pequenas empresas que querem dar um start na publicidade quanto com gigantes multinacionais – e é um dos queridinhos das estratégias de marketing digital.

Depois da empresa de Mark Zuckerberg, o ranking mundial é seguido pelo WhatsApp e pelo Messenger, ambos com 1 bilhão de usuários. Depois QQ, WeChat, QZone, Instagram, Tumblr, Twitter, Baidu Tieba e Skype.

Algumas destas redes sociais são pouco conhecidas no Brasil. Isso porque cada país usa a tecnologia de formas bastante singular, e nem sempre o que bomba em um lugar faz sucesso também em outros.

O QQ, QZone e Baidu Tieba, por exemplo, são redes sociais chinesas e o Baidu Tieba é a maior plataforma de comunicação da China.

Como é o perfil brasileiro?

Antes de listar as redes sociais mais utilizadas por aqui…

Você sabia que o Brasil é o maior mercado de internet na América Latina, com aproximadamente 140 milhões de usuários? E que é também o quarto maior mercado do mundo em termos de internautas conectados? Portanto, o que acontece no país não é de se desprezar.

O Facebook é o mais popular (depois que desbancou o Orkut). O brasileiro é um dos povos que passa mais tempo conectado à plataforma.

O segundo lugar é fácil adivinhar: cada vez que o WhatsApp sofre bloqueio judicial, as pessoas ficam indignadas e sofrem com a falta de comunicação da tecnologia mobile. O terceiro lugar fica com o YouTube, o quarto com Instagram e o quinto com Twitter. A hashtag mais usada no Instagram em 2016 foi #love, e a hashtag #forçachape bateu recordes no Twitter.

E em outros países, como é?

 

No Japão, terra da tecnologia, a mídia mais utilizada desde 2013 é o LINE. Este é um aplicativo gratuito para troca de mensagens, áudio, vídeo e videoconferências. Depois, as principais plataformas são Twitter, Facebook, Instagram e Google+.

Nos Estados Unidos, o Facebook é a principal rede de interação, seguido pelo Youtube. Este dado acompanha a tendências do marketing digital e da comunicação. Em futuro não muito distante, os vídeos deverão dominar a internet, substituindo inclusive o Google como o principal buscador. Em escala muito menor do que estas duas redes sociais, os norte-americanos utilizam o Twitter, o Reddit, o Pinterest e o Instagram.

E você, qual rede social faz a sua cabeça? É sempre interessante estar por dentro das redes de outros países também. Afinal, qual será o seu próximo destino no mundo?

Psicologia e Marketing Digital

Quando planejamos, utilizamos todos os aspectos relativos a comportamentos e hábitos de consumo, analisamos o meio e a cultura que envolvem nosso público (quais os modelos e valores que estas pessoas apresentam), buscamos analisar os modelos mentais determinantes que devam ser influenciados para se levar à influência da compra e – muitas vezes – ajudar ao consumidor em potencial a perceber que ele já tinha uma necessidade que desconhecia e que a partir daquele momento/informação ele pode satisfazê-la.

As percepções das pessoas são influenciadas de inúmeras formas (desde cores, formas, cheiros, até coisas que podem influenciá-lo de forma subjetiva e inconcientemente, como a comunicação subliminar que é super polêmica).

Marketing é a psicologia do consumo, para entendê-lo em suas causas e assim o poder influenciar através de inúmeras maneiras com ações bem planejadas e executadas com a finalidade de se conseguir gerar um impulso desejado em quem é visado por determinada organização, com um objetivo específico. Mktg é quase sempre influenciar (e até mudar) o comportamento humano e está ligado à comercialização de produtos e serviços, à conscientização e alerta para causas diversas (sociais, ambientais, etc), enfim, a mudar a percepção de “alguém” sobre um aspecto/tema específico.

Referencia: http://psicoemarketing.blogspot.com.br/

Hoje mais do que nunca podemos destacar o Marketing Digital como o maior canal de influencia psicológica na relação de consumo, tendo como uma das grandes bases as redes sociais. Viralizar um conteúdo influencia no comportamento ou mesmo na compra.

O primeiro passo é construir uma auto-imagem positiva e otimista. As pessoas esquivam-se daqueles que estão sempre mau humorados ou torcendo para tudo dar errado.

Como nos ensina as sucedidas estratégias do marketing tradicional, todo produto necessita de uma boa embalagem. Portanto, cuide da sua comunicação e apresentação pessoal, pois são o seu cartão de visitas.

Demonstre iniciativa, persistência e motivação em tudo que faz. Certamente isto trará a atenção das pessoas, identificando-o como alguém interessante e interessado.

Fique atendo ao feedback. Saber o que as pessoas pensam respeito pode ajudar a mudar pequenos hábitos e costumes, se necessário.

Isso demonstra que as Redes Sócias tonou sua empresa muito mais ativa na vida das pessoas, ela tem que se relacionar e interagir com o consumidor, ele quer que você comente, curta e o siga nas redes sociais.

Não é um trabalho fácil, por isso existem cada vez mais empresas especializadas em Marketing Digital e Estudos de Comportamento, para ajudar e influenciar o consumidor escolher determinado produto.

 

Suporte via telefone Facebook e Instagram

Nos dias 23,24 a 25 de agosto participamos para Latam Retail Show (www.latamretailshow.com.br) no Expo Center Norte – São Paulo / Brasil, para conferir em especial o Stand do Facebook  / Instagram.

Telefone do Facebook e Instagram

[sociallocker]

O Facebook tem planos ousados para o Brasil, diferente do Google, não contam com um suporte via telefone em português para agências, todo atendimento é feito via e-mail, ou formulário de dúvidas.

A promessa que isso mude em breve, mais ainda sem data definida, a empresa acredita no potencial do mercado brasileiro que se mantém como principal mercado na américa latina, o país tem quase o dobro de usuários que o segundo colocado, o México.

O Facebook atingiu a marca de 108 milhões de usuários mensais no Brasil, segundo Diego Dzodan, vice-presidente da rede social na América Latina. Os resultados mantiveram o país como principal mercado da região.

Quem esteve no Latam Retail Show teve a oportunidade de tirar dúvidas em um suporte especializado em uma área reservada, além de palestras sobre anúncios e muitas outras novidades.

O suporte vindo para o Brasil será muito bem-vindo, pois algumas dúvidas não são respondidas, alguns anúncios ainda são feitos com dificuldade por parte dos usuários.

14088658_1649889985300919_2889571074169360188_n

Com um Stand em forma de container, da ao entender que eles desembarcam deves no Brasil para ações publicitarias.

 [/sociallocker]

A MORTE [✞] DO GOOGLE PLUS, Qual é o futuro do Google+?

Qual é o uso que você dá para o Google Plus? Aliás, o que caracteriza o comportamento e engajamento da maioria dos usuários presentes nesta rede social?

Será que chegou a hora do fim do Google Plus? Última: Qual é o futuro do Google+?

Não dá pra duvidar que o crescimento dessa rede social foi vertiginoso, principalmente quando comparado com outras redes sociais. Pra você ter uma ideia, Facebook e Twitter levaram aproximadamente três anos para exibirem números como 90 milhões de usuários. Já o nosso amigo Google+ precisou de somente seis meses para dividir o mesmo título. Impressionante.

Google+ tem probleminha

Por outro lado, não podemos esquecer que o aumento de usuários se relacionava diretamente à obrigatoriedade de possuir uma conta para interagir com com funções como comentários do Youtube. Por isso, quando nos garantimos em estatística pura, pode até parecer que o Google+ não parou de crescer e de se converter num sucesso de público e crítica, mas… a coisa não é bem assim.

A ideia original da rede era dar aos usuários a possibilidade de terem uma identidade única na web. Esse perfil poderia migrar de plataforma em plataforma e ainda assim manter um controle centralizado. Ponto positivo? Tudo ficara vinculado ao mesmo user, dava pra acessar o histórico de uma rede ou compartilhar conteúdos de outras de forma simples e direta. Ainda assim, ter um centro de comando – no melhor estilo Panóptipo de Benthamnão era o que muitos usuários queriam.

3

Outro probleminha que a rede enfrentou foi o desconforto de alguns usuários sobre algumas informações solicitadas no momento de criar um novo perfil. entrar pro Google+ significava necessariamente ter que escolher entre as opções “Feminino”, “Masculino” e “outros” na parte onde se define o gênero. Em pleno século XXI, Google?Lógico que alguém – ou muita gente – ia se queixar.

E se a voz do povo é a voz de Deus, tá complicado pro Google+:

Preto no branco

Mas o Google não é Goole à tôa. Quando começou a perceber a insatisfação dos usuários, Bradley Horowitz (VP, Photos and Streams no Google) comandou a iniciativa de dar vários passos e algumas integrações entre plataformas foram desligadas. Um exemplo é a o Hangouts, que há alguns meses deixou de mostrar o perfil social dos contatos que figuram em nossas listas. O seletor de gênero também foi reconfigurado e os ajustes de privacidade permitem modificações.

E como era de se esperar, a estratégia macro anunciada começou a ser notada no Google+. Nas declarações feitas por Bradley, a mudança de direção era uma questão de espera. Com a decisão, parece que os novos responsáveis pelo Google+ começaram a considerar a opinião dos usuários.

4

Acredita-se que a plataforma voltará a compor o universo web como mais um serviço do gigante das buscas, e não como o único destino possível. Segundo o Marketing4ecommerce, o processo de desvinculação continuará. A ideia é que a plataforma se alinhe novamente com a ideia original de ser um ambiente virtual no qual os usuários interajam ao redor de interesses comuns.

Você pode até dar uma olhada por si mesmo no anúncio feito por Horowitz em Julho deste mesmo ano de 2015 na nota Everything in its right place.

Dissecando o Google+

Muita opinião e poucos dados concretos até agora. Pois vamos dar uma olhada em algumas estatísticas que podem ajudar a entender o panorama da plataforma. Pra começar, uma reflexão: já que todo mundo que tem um Gmail automaticamente ganha uma conta no G+, será que todos efetivamente usem a rede social?

Atualmente, há cerca de 2,3 bilhões de perfis no Google+. Número impressionante, mas qual é o nível de envolvimento efetivo na plataforma? O problema é que algumas redes sociais, mesmo com um menor número de usuários, têm níveis de engagement muito mais altos.

Hora de dar uma olhada na comparação entre quantidade de perfis e de usuários ativos em cada rede. AGlobalWebIndex fez um estudo em 2015 e os dados são esclarecedores:

graf01

Outras conclusões do estudo indicam números que o Google+ não devem curtir muito ou “dar +1”:

– Somente 212 milhões de perfis, do total de mais de 2 bilhões de usuários são considerados ativos;

– 90% das contas estão absolutamente vazias. Fato que se explica quando entendemos que muitos deste usuários concordaram em criar o perfil (tentando usar outros serviços) mas que realmente nunca se interessaram por compartilhar conteúdo neste canal.

Quando passamos o pente fino comparando quantidade de usuários X quantidade de postagens:

  • 1,93 milhões de usuários fizeram mais de 10 postagens no mês passado
  • 21,8 milhões de usuários postaram 10 ou mais vezes em toda a sua história na plataforma
  • 6,65 milhões de usuários publicaram 50 ou mais vezes em todo o seu período no G+

google plus

google plus

Pra você ter uma ideia, o New York times chamou o G+ de “cidade fantastma”, duro golpe, e vindo de uma fonte bastante lida e respeitada. Outro canal que teu um tapa com luva de veludo  foi o TechCrunch: “walking dead”. E olha que estamos falando da segunda maior rede social do mundo – em termos estatísticos de quantidade de usuários. “Está cheio de fantasmas” foi a declaração da web Gundotra. É muito pra passar despercebido, a internet está de olho no futuro do G+ e a  expectativa não é necessariamente otimista.

Mesmo assim, vamos dar uma olhada como anda disputa dos quatro primeiros postos quando comparamos as maiores redes sociais da atualidade. Obviamente, o primeiro lugar pertence ao Facebook, com uma representativa quantidade de visitas diárias girando na casa dos 830 milhões de acessos. Em segundo, o Twitter exibe números na casa dos 65 milhões, seguido pelo Google Plus com 37 milhões e, por último, o Linkedin fecha a conta com quase 19 milhões de acessos.

E como a distância entre o primeiro e os outros colocados é realmente enorme, vejamos alguns gráficos comparando os 2o, 3o e 4o postos. Na comparação páginas por visita, o G+ salta para o primeiro posto.

google plus

Depois de um tempo competindo de forma acirrada, o g+ dá a sensação de que tomou distância em relação ao Linkedin e ao Twitter quando nos referimos à relação páginas por visita. Por outro lado, o bounce rate  do G+ é bem maior que o dos seus competidores diretos. E se fosse o caso de excluir da comparação as visitas simples de cada página, o Google Plus teria ainda mais vantagem que as duas outras redes.

google plus

E quando finalmente comparamos a integração dos conteúdos existentes no G+ em relação às pesquisas no buscador do Google, perceberemos que a comparativa com o Twitter é muito mais favorável ao Google Plus.

Uma métrica que reforça algo que já comentamos anteriormente é a que dá ao G+ uma grande vantagem, em relação às outras duas redes, no que diz respeito à criação de postagens com conteúdos de outros meios. Aparentemente, as pessoas preferem compartilhar posts, imagens e outros tipos de conteúdos no G+. No caso do uso social do G+ no Brasil, dá pra perceber que a maioria dos nossos contatos publica mais conteúdos de terceiros do que peças próprias.

Algo que também faz pensar sobre o G+ e de certa forma consegue seduzir os marketeiros é o impacto das publicações no Google Plus sobre o SEO das páginas. É notável como o uso de keywords, conteúdos específicos e social signals provenientes dessa rede afetam o posicionamento das páginas no rank do Google.

Pra fechar

Não, o G+ não morreu e nem vai morrer agora, pode ficar tranquilo. Aliás, a rede merece atenção e fique ligado no que vem por aí. O Google não vai desistir tão fácil da plataforma e, cá entre nós, se você faz sucesso com seu marketing no Google+, não mude tudo só por causa de alguns rumores.

stay

Mesmo assim, investir numa estratégia multi-plataforma pode ser interessante para ver em qual delas você tem que tipo de feedback e engagement dos usuários. O postCron tem ótimas funcionalidades pra você que publica no google Plus, e se quiser fazer algum comentário, será super bem-vindo, estamos todos curiosos sobre novas perspectivas e sobre o futuro do Google Plus. Espero você por aqui  no próximo post!

via postCron:http://goo.gl/xpOzyJ

Marketing (Estratégicas, Econômicas e Operacionais)

Marketing digital são ações de comunicação que as empresas podem se utilizar por meio da Internet e da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos clientes e melhorar a sua rede de relacionamentos.

Esse tipo de marketing traduz-se em acções de Marketing (Estratégicas, Econômicas e Operacionais) adaptadas aos meios digitais, de forma a obter, nestes canais, a mesma eficiência e eficácia do marketing direto e em simultâneo potenciar os efeitos do marketing tradicional.
O uso da rede fez tanto sucesso, que as empresas passaram a investir na criação de um ambiente de comunicação com o cliente, permitindo que as empresas tenham uma página de negócios por meio das Fan Pages.

E-marketing ou marketing electrónico baseia-se na utilização das tecnologias de informação e comunicação (TIC) no processo de criação, comunicação e fornecimento de valor aos clientes, e na gestão das relações com os clientes, de modo a beneficiar a organização e os seus stakeholders (públicos-alvo).

Este género de consumidor é um ser exigente, informado, atento, procurando sempre registos que lhe possibilitem saber mais antes de sair do conforto de sua casa, trocando mesmo ideias com outros consumidores e até mesmo clientes .

Desenvolvimento empresarial está mudando rapidamente e levando as empresas a se adaptarem a um modelo relacional nas suas estratégias de marketing, sendo que aí entra a internet como o grande instrumento de comunicação.

Terão que se adaptar às exigências que lhes são pedidas pelos mais diversos meios envolventes, colmatando as falhas que possam existir e adequando preços ao mercado tornando-se assim mais competitiva.

Estratégia de marketing na internet deve estar em consonância com a estratégia de marketing definida na empresa, isto é: com o seu posicionamento, com os seus segmentos-alvo e coerência com acções de comunicação que a empresa efectua.

Como objectivos, deve criar um canal de vendas, dar a conhecer a empresa e produtos, potenciar a sua imagem e notoriedade, criar valor acrescentado aos seus clientes e no caso de pretender internacionalizar-se, deve ter uma forte presença na Web alargando a sua área de influência no negócio.

Entenda como funciona o selo de verificação do Facebook

Sabe aquela bolinha que fica ao lado do nome Start-It Tecnologia na nossa página do Facebook? Aquilo é um selo que o Facebook concede para atestar que aquele espaço realmente representa quem diz representar.

O ícone de verificação vai para celebridades, jornalistas, funcionários de governo, marcas populares, empresas, entre outros. “Verificamos perfis ou páginas a fim de ajudar você a certificar-se de que essas pessoas são autênticas”, explica a empresa.

“Lembre-se de que nem todos os perfis e páginas autênticas são verificadas, e você não pode solicitar que seu perfil ou sua página seja verificada”, continua ao Facebook, que informa: “Você pode denunciar contas falsas se passando por você, sua empresa ou sua marca.”

Por que isso é importante?

1 – Após a certificação, ninguém mais pode reivindicar o nome a sua marca no Facebook e solicitar tomar posse da pagina.

2 – Páginas verificadas aparecem em posição mais alta nos resultados de busca.

3 – Mais credibilidade para quem as visita sua pagina.

É o próprio Facebook que decide quando e por que certificar uma página, nós da Start-It Tecnologia e Marketing Digital, ajuda a sua empresa a verificar sua pagina de  de forma simples, garantindo sua marca e melhores posições nas buscas.