Encarando o fim das páginas do feed principal agora usuários veem apenas publicações pagas

Facebook testa mudança que tira todas as páginas do feed principal

Desde o último sábado, 21, quem usa o Facebook começou a não ver mais posts feitos por páginas no feed de notícias principal, que ficou restrito a publicações de amigos.

Para encontrar os posts feitos por páginas, sera preciso acessar o Feed de Exploração, funcionalidade que foi criada pela rede social para ajudar os usuários a descobrirem outros tipos de conteúdo no Facebook, indo além do que aparece na linha do tempo principal.

[sociallocker]

A novidade foi descoberta por um jornalista eslovaco, Filip Struhárik, que reportou que algumas páginas estavam “vendo quedas dramáticas em alcance orgânico” – alcance orgânico, no jargão do Facebook, é o número total de usuários que uma publicação consegue alcançar sem precisar pagar para chegar a mais pessoas.

Uma série de veículos especializados internacionais repercutiram o assunto ontem, o que forçou o Facebook a se pronunciar. “Sempre escutamos nossa comunidade sobre como podemos melhorar a News Feed”, escreveu o diretor responsável pela área, Adam Mosseri.

“As pessoas nos dizem que querem uma forma mais fácil de ver posts de amigos e família. Estamos testando ter um espaço dedicado para que as pessoas possam manter contato com seus amigos e familiares, e outro espaço separado, chamado Exploração, com posts de páginas.”

Embora tenha assegurado que não há planos para expandir os testes globalmente por enquanto, Mosseri deixou claro que a empresa estuda ativamente maneiras de encontrar uma solução para o problema apontado pelos usuários.

“O objetivo desse teste é entender se as pessoas preferem ter espaços separados para conteúdo pessoal e público”, explicou. “Vamos ouvir o que as pessoas dizem sobre a experiência para entender se é uma ideia que vale a pena seguir adiante.”

Facebook testa mudança que tira todas as páginas do feed principal

Nossa Opinião!

O alcance orgânico morreu, todos sabemos que isso um dia ia acontecer. Mas não reclame com o Mark, ele só quer fazer dinheiro, como todos nós. Não vamos chorar sobre isso, vamos falar sobre como você está montando a sua estratégia de mídia? Usando o Facebook como exemplo, há milhares de combinações de direcionamento de anúncios. Você está fazendo isso certo? Tá usando inteligência para montar um planejamento eficaz? Aliás, você está planejando isso direito? Aliás, mais um passo pra trás: você sabe diferenciar e planejar seus esforços de mídia paga, própria e adquirida?

6 dicas para encarar o fim do alcance orgânico

1. A era “free social” está oficialmente encerrada

As marcas já tinham uma ideia de que seus orçamentos deveriam incluir gastos em ações orgânicas e também em mídia paga, ao mesmo tempo em constataram que com isso conseguiriam fortes resultados. Mesmo que a taxa de sucesso diminua, disse David Moritz, CEO da Viceroy Creative, a maioria das grandes empresas vai querer ter uma presença efetiva no Facebook, a fim de permanecer relevante para os consumidores. “O custo vai ser maior”, disse Moritz. “O passeio livre acabou, mas todos que participaram parecem ter se beneficiado de alguma forma”.

Ben Hordell, sócio da DXagency, acrescentou que “a mídia social tornou-se muito menos livre com a necessidade de gerar receitas nas plataformas. As empresas vão dizer que esses algoritmos surgem para solucionar um problema de volume das publicações, o que também é verdade, mas o dinheiro está, certamente, fazendo a sua parte como sempre faz”.

Mais carinho com o seu site, faça um mix do site com as redes sociais, use conteúdo das redes no site e vice e verça.

2. O melhore conteúdo vence

Todos concordam que a diminuição do alcance orgânico irá forçar as marcas a pensar de forma mais inovadora, a exemplo do que Red Bull e Gatorade já têm feito. E se o foco é Instagram, a Tommy John parece estar à frente do jogo em termos de conteúdo (na última semana eles postaram uma foto de um influenciador do mundo fashion – Cuffington – com uma hashtag poderosa – #MarchMadness – e em segundos acumularam mais de 100 likes).

Mesmo que não houvesse nenhuma verba por trás do post (Cuffington não foi pago para fazer a foto), Monica Fineis, diretora de social da Tommy John, disse que a combinação de influenciadores com anúncios no Twitter e no Instagram poderiam ser importantes para estratégia de marketing em tempos de mudança de algoritmo.

Tania Yuki, CEO do player de marketing de mídia social Shareablee, é de opinião similar. “Se um anunciante ainda está lutando para criar uma estratégia social que impacte os usuários, essas mudanças algorítmicas irão desafiá-lo a pensar ainda mais sobre o seu potencial criativo“, disse ela.

Adam Padilla, CEO da Brandfire, acrescentou que o bom conteúdo cria “reações e rupturas, porque é autêntico e comunica claramente. E é isso o que uma verdadeira marca é”.

3. Anúncios melhores graças ao algoritmo

Se houver menos conteúdo de marketing orgânico na timeline, isso pode ajudar os anunciantes a exercer mais impacto nos consumidores, avalia Padilla. “A vantagem destes algoritmos para os comerciantes, pelo menos no curto prazo, é que eles vão ter um consumidor-alvo ainda mais específico, fazendo com que cada dólar gasto renda mais resultados”, disse ele.

Yuki acrescentou: “Se você é um anunciante que tem obtido sucesso com sua estratégia social, agora mais usuários serão capazes de descobrir o seu conteúdo”.

4. Muitos vão perder

Marketing de conteúdo é difícil, por isso muitos comerciantes podem esperar mais do que nunca escutar histórias de marcas que ficaram para trás. “Não se iluda“, disse Hordell, da DXagency. “Mesmo se você tiver um conteúdo inacreditável, você pode acabar naquela situação de que uma-árvore-cai-na-floresta-e-ninguém-está-lá-para-vê-la”.

5. O e-mail pode se tornar mais lucrativo

Hordell também opinou no sentido de que as alterações do algoritmo têm tornado o e-mail marketing ainda mais atraente nos últimos anos. “Com o e-mail marketing, os comerciantes têm maior controle da entrega da mensagem quando comparado com as mídias sociais”.

E hey, ele pode estar certo. Basta considerar o relatório da Epsilon que mostrou que a geração Y está usando cada vez mais o e-mail, na verdade mais do que qualquer outra geração.

6. Se você for pego de surpresa, que vergonha

Muitos dos profissionais ouvidos pelo Adweek disseram que já haviam previsto as mudanças no algoritmo há um bom tempo. “Nós estamos nos preparando para isso e não sendo surpreendidos”, disse Fineis de Tommy John. “Significa (o novo algoritmo) apenas que você tem que trabalhar duro para gerar engajamento, essa é a forma como abordamos cada pedaço de conteúdo.”

*  Trechos Traduzidos e adaptados de 6 Reactions by Marketers to the End of ‘Free Social’ as the Algorithm Era Unfolds.

[/sociallocker]

Memes: amá-los ou odiá-los?

Os memes são tão famosos que quase não é preciso explicar. Mas, resumidamente, tem uma enorme capacidade de replicar informação e viralizar na web por meio de vídeos, imagens ou gifs.

Só que diferente de qualquer outro vídeo, imagem ou gif que faz sucesso nas redes sociais, o meme reflete uma ideia ou um conceito, e geralmente com bom humor.

[sociallocker]

A vida útil dificilmente passa de duas semanas, e todos os dias centenas nascem e morrem. Mas, há os memes que se transformam, e dão origem a diversas variações por meio da interação com outras pessoas e contextos.

Um exemplo em 2016 foi o gatinho do Thug Life, que emprestou seus óculos de sol e música para dezenas de outros personagens, desde os mais comuns com cenas do cotidiano até debates políticos de candidatos.

Os memes são realmente a prova de que a tecnologia revolucionou as formas de comunicação, e as agências ficam ligadas nessa tendência para aproveitá-los em campanhas publicitárias e de marketing digital.

Como surgem os memes?

O start é geralmente em sites de fóruns e nas redes sociais, e qualquer pessoa com criatividade, habilidades básicas de comunicação e um pouco de tempo livre pode criá-los.

Exemplos de tecnologias e aplicativos para desenvolver as peças são: Pext, Best Meme Generator by Memeful, o Meme Generator Free, o Meme Generator by MemeCrunch e o Aviary Photo Editor.

Para uma boa comunicação, não há preocupação com estética das peças e a interação é uma ferramenta chave. Os temas mais recorrentes derivam de um acontecimento específico ou envolvem situações totalmente banais, que retratam o dia-a-dia de forma cômica e satírica.

Memes famosos

Para se inspirar, vamos ver quais os memes que fizeram história em 2016:

O garotinho do “você tem que amadurecer” bombou nas redes sociais no final do ano e gerou muitas adaptações com base no original.

O John Travolta confuso, em cena retirada do filme Pulp Fiction, também marcou presença no WhatsApp e nas redes sociais e deu origem a muitas mutações.

Apesar de um ano difícil para a política e a economia do Brasil, não faltou bom-humor para falar da operação lava jato.

Quem não lembra de memes com o japonês da federal, com o Anthony Garotinho e brincando com o apego de Eduardo Cunha ao Congresso?

Também dominaram os meios de comunicação os memes da Glória Maria fumando maconha na Jamaica para gravar o Globo Repórter. A participação da Glória Pires durante a cerimônia do Oscar e as imagens da Bela Gil sugerindo trocar uma coisa por outra.

Nosso país é definitivamente composto por pessoas criativas e bem humoradas, que parecem estar a postos para quaisquer deslizes.

Hoje, qualquer assunto, post ou momento pode virar um meme, então tome cuidado, todos podemos ser os próximos protagonistas! E você ama ou odeia esta nova modalidade de humor?

[/sociallocker]

Use hashtags e consiga melhores resultados

As hashtags tomaram conta das postagens de toda a internet. São o start para conversas e temas de assuntos e estão presentes em praticamente todas as redes sociais. São muito usadas pelas pessoas em geral e pelas agências de marketing digital que apostam neste método para incrementar seus resultados.

Mas, você sabe para elas realmente servem e como usá-las ao seu favor?

Use hashtags e consiga melhores resultados

Elas estão lá, nas redes sociais, nas páginas de busca e em postagens em blogs e vídeos espalhados pela internet. Mas para que elas servem?

Na verdade nada mais são do que marcações que ajudam na busca e dão o start para encontrarmos o que desejamos.

Quando você procura algo utilizando este artifício consegue encontrar muito mais facilmente todas as postagens e publicações que foram feitas dentro do mesmo assunto.

É como se elas tivessem uma etiqueta, assim, os resultados da busca ficam mais otimizados e você não perde tempo com assuntos que não tenham a ver com o que você procura.

Funcionalidade #

A tecnologia tem um desempenho ainda melhor nas redes sociais. Por lá, quando você clica em uma hashtag, você é imediatamente levado a uma página de resultados com todas as postagens que utilizaram o mesmo termo.

Esta tecnologia é utilizada também para se conquistar mais visibilidade. A mesma técnica também pode ser utilizada para a divulgação de eventos e movimentos da sociedade em geral.

Aliás, em eventos, o uso das hashtags é ainda mais efetivo, já que facilita a comunicação via rede social, entre todos que participam daquele momento.

Não é raro encontrarmos também o uso de hashtags como forma de protesto. Unindo postagens e opiniões de pessoas que pensam da mesma forma.

Então tente incrementar sua postagem com o uso de hashtags do momento. Utilize assuntos mais falados e tente emplacar sua HASHTAG!

Saiba aqui quais Hashtags estão em destaque no momento.

Redes Sociais no Brasil e no mundo

As redes sociais tem crescido rapidamente e com elas uma nova forma de sociabilizar e de promover negócios com o marketing digital.

O sucesso é tanto que a cada ano surgem novos canais e outras dezenas entram em declínio. Então quais as redes sociais mais acessadas no Brasil e no mundo? E quais outras curiosidades este universo nos conta?

Em termos globais, se as redes sociais fossem países, o Facebook seria maior que a China! Isso mesmo. De acordo com o relatório da consultoria Statista, em 2017 a mídia mais popular do mundo superou 1,8 bilhões de usuários ativos por mês.

O Facebook já tinha sido a primeira rede social a alcançar a marca de 1 bilhão de usuários em 2014, e continua crescendo. Agora, além das pessoas que usam o canal para interação e compartilhamento, ele também está atraindo o mundo dos negócios e as agências de comunicação.

O Facebook Ads faz sucesso tanto com pequenas empresas que querem dar um start na publicidade quanto com gigantes multinacionais – e é um dos queridinhos das estratégias de marketing digital.

Depois da empresa de Mark Zuckerberg, o ranking mundial é seguido pelo WhatsApp e pelo Messenger, ambos com 1 bilhão de usuários. Depois QQ, WeChat, QZone, Instagram, Tumblr, Twitter, Baidu Tieba e Skype.

Algumas destas redes sociais são pouco conhecidas no Brasil. Isso porque cada país usa a tecnologia de formas bastante singular, e nem sempre o que bomba em um lugar faz sucesso também em outros.

O QQ, QZone e Baidu Tieba, por exemplo, são redes sociais chinesas e o Baidu Tieba é a maior plataforma de comunicação da China.

Como é o perfil brasileiro?

Antes de listar as redes sociais mais utilizadas por aqui…

Você sabia que o Brasil é o maior mercado de internet na América Latina, com aproximadamente 140 milhões de usuários? E que é também o quarto maior mercado do mundo em termos de internautas conectados? Portanto, o que acontece no país não é de se desprezar.

O Facebook é o mais popular (depois que desbancou o Orkut). O brasileiro é um dos povos que passa mais tempo conectado à plataforma.

O segundo lugar é fácil adivinhar: cada vez que o WhatsApp sofre bloqueio judicial, as pessoas ficam indignadas e sofrem com a falta de comunicação da tecnologia mobile. O terceiro lugar fica com o YouTube, o quarto com Instagram e o quinto com Twitter. A hashtag mais usada no Instagram em 2016 foi #love, e a hashtag #forçachape bateu recordes no Twitter.

E em outros países, como é?

 

No Japão, terra da tecnologia, a mídia mais utilizada desde 2013 é o LINE. Este é um aplicativo gratuito para troca de mensagens, áudio, vídeo e videoconferências. Depois, as principais plataformas são Twitter, Facebook, Instagram e Google+.

Nos Estados Unidos, o Facebook é a principal rede de interação, seguido pelo Youtube. Este dado acompanha a tendências do marketing digital e da comunicação. Em futuro não muito distante, os vídeos deverão dominar a internet, substituindo inclusive o Google como o principal buscador. Em escala muito menor do que estas duas redes sociais, os norte-americanos utilizam o Twitter, o Reddit, o Pinterest e o Instagram.

E você, qual rede social faz a sua cabeça? É sempre interessante estar por dentro das redes de outros países também. Afinal, qual será o seu próximo destino no mundo?

Pesquisar é a maior atividade online

+400 Milhões por Dia 5 Mil a cada Segundo! Os Usuários passam  5% do tempo em pesquisa

Mais de 70% dos consumidores compraram produtos na Internet em 2015. O número de compradores online de eletrônicos e linha branca (geladeira, fogão e ar condicionado) aumentou de 65,6% em 2014 para 71,9% em 2015. As lojas que mais se destacaram foram Americanas, Casas Bahia, Submarino, Extra, Magazine Luiza e Walmart. O “showrooming” foi uma das principais tendências dos consumidores: 75,2% deles afirmaram que conferiam as informações nas lojas físicas e compravam com preço melhor online. O uso do e-mail marketing contribuiu para o crescimento do e-commerce, 62% disseram que recebiam os e-mails, 81% confirmaram terem recebido as mensagens promocionais dentro das lojas e 65% compraram por meio dessas promoções. A líder em “Força de Marca” (com menos rejeição) foi as Lojas Americanas com 12, 9%, seguida de Casas Bahia (8,4%), Magazine Luiza (5,7%) e Extra (4,1%) e Walmart (3%. Lojas de expressão menor destacaram-se no índice “Valor Percebido” (custo-benefício percebido): a Lojas Cem liderou, com nota 1,053, seguida por Lojas Havan (1,050), Eletro Shopping (1,034), Walmart (1,025) e Bemol (1,024). Os consumidores consideraram que Lojas Americanas, Walmart, Lojas Cem e Ricardo Eletro apresentaram os melhores preços – todas receberam nota 8,1. (TIInsideOnline, dados de pesquisa da CVA Solution sobre o varejo eletrônico no Brasil com 7.359 pessoas, acesso em 20.1.2016)

Brasileiro passa em média 5,3 horas por dia no computador pessoal, diz pesquisa. Pesquisa realizada em junho de 2015 com mil internautas de todas as regiões do país e maiores de 18 anos mostrou que os brasileiros passavam em média 5,3 horas na frente do computador pessoal todos os dias. As famílias tinham em média 1,9 computador, compartilhado na maior parte das vezes por 2 pessoas. 56% citaram o notebook como o principal computador pessoal do domicílio, à frente de desktops (31% dos respondentes). Tablets ficaram em terceiro, com 7% do total das respostas, seguidos pelos notebooks 2 em 1 (2%), all-in-ones (2%) e outros dispositivos (3%). O computador ainda foi o dispositivo preferido para uso doméstico, como assistir a filmes (85%), navegar na internet (74%) e acessar e-mails (73%). A única das atividades na qual os consumidores preferiram o tablet ao computador foi a comunicação com amigos e familiares, em que 51% dos usuários afirmaram que o tablet foi a primeira opção. 3% afirmaram utilizar os dispositivos para games.
46% dos entrevistados tinham planos de comprar novo computador nos próximos seis meses. 34% afirmaram que seu principal computador doméstico estava em uso há mais de dois anos. Na hora da compra de um novo computador, 57% dos entrevistados afirmaram que buscavam em primeiro lugar um bom processador, seguido pela marca (22%) e memória RAM (8%). 33% afirmaram que preferiram lojas online para efetuar a compra, contra 19% de lojas físicas. Pouco mais de um quarto (29%) levou em consideração opiniões e avaliações online. 80% dos consumidores afirmaram que os smartphones seriam o principal ponto de acesso à internet nos próximos dez anos. (CanalTech, dados da Dell, em parceria com Ibope Conecta, acesso em 26.7.2015)

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.”
Charles Darwin

Entre em contato: 11 26263906 / 21 3005-9238

Suporte via telefone Facebook e Instagram

Nos dias 23,24 a 25 de agosto participamos para Latam Retail Show (www.latamretailshow.com.br) no Expo Center Norte – São Paulo / Brasil, para conferir em especial o Stand do Facebook  / Instagram.

Telefone do Facebook e Instagram

[sociallocker]

O Facebook tem planos ousados para o Brasil, diferente do Google, não contam com um suporte via telefone em português para agências, todo atendimento é feito via e-mail, ou formulário de dúvidas.

A promessa que isso mude em breve, mais ainda sem data definida, a empresa acredita no potencial do mercado brasileiro que se mantém como principal mercado na américa latina, o país tem quase o dobro de usuários que o segundo colocado, o México.

O Facebook atingiu a marca de 108 milhões de usuários mensais no Brasil, segundo Diego Dzodan, vice-presidente da rede social na América Latina. Os resultados mantiveram o país como principal mercado da região.

Quem esteve no Latam Retail Show teve a oportunidade de tirar dúvidas em um suporte especializado em uma área reservada, além de palestras sobre anúncios e muitas outras novidades.

O suporte vindo para o Brasil será muito bem-vindo, pois algumas dúvidas não são respondidas, alguns anúncios ainda são feitos com dificuldade por parte dos usuários.

14088658_1649889985300919_2889571074169360188_n

Com um Stand em forma de container, da ao entender que eles desembarcam deves no Brasil para ações publicitarias.

 [/sociallocker]

Olimpíadas e Pokémon Go pra todo o lado!

Está em pleno Rio de Janeiro curtindo os jogos, a brisa e tirando suas fotos e eis que do nada saca o celular para capturar um novo Pokémon. Essa é a febre do momento e aproveitando o clima olímpico e esta novidade, o Hemorio do Rio de Janeiro está em campanha para ampliar as doações de sangue neste período.

Com a sala de coletas repleta de Pokémons, o Hemorio apela para esta novidade para chamar a atenção para as doações de sangue, o que se torna ainda mais relevante nesta época de jogos olímpicos, pois o  volume de pessoas aumenta exponencialmente e os bancos precisam se preparar para esta demanda.

Esta é a mensagem no Facebook do Hemorio:

“Eles já chegaram aqui no Hemorio também! Aproveite o feriado para salvar vidas e se tornar um mestre Pokemon! Estamos abertos das 7 às 18 horas. Dúvidas sobre a doação, ligue para o disque-sangue (0800-282-0708). ‪#‎vemdoar‬ ‪#‎pokemongo‬ ‪#‎pokemon‬“. Se sentiu empolgado e esta na região? Dá uma passada por lá, é rapidinho! Outras informações no site: https://www.hemorio.rj.gov.br ou mesmo no facebook do Hemorio: @hemoriodoesangue.

Nessa onda eles saem na frente e continuam com uma campanha que usa de temas olímpicos para continuar empolgando. Fique a par de tudo no site deles.

Hemorio-Olimpiadas2016

Doe Sangue nas Olimpíadas 2016 (Foto: Divulgação Facebook Hemorio)

Nossa dica estratégica é que é interessante recorrer a sacadas como esta para fomentar seu negócio. Fique atento a novidades e aos top trends e assim use de muita criatividade e não perca tempo para se tornar destaque no meio desse mar de notícias!

 

Dicas para encontrar emprego nas redes sociais

Hoje as redes sociais exercem um papel muito mais profundo do que simplesmente conectar pessoas. Elas atuam como plataforma de vendas, propaganda e por que não como uma via de processos seletivos?! Grupos de publicação de vagas, em áreas diversas, são cada vez mais comuns. Se você está em busca de uma recolocação no mercado de trabalho e é usuário de redes sociais, dicas como interagir com as publicações e manter os perfis sempre atualizados podem ajudar a conquistar uma vaga mais rápido. Também pode se fator de reprovação em um processo seletivo, tomar posturas muito radicais pode ser um perigo. Confira outras dicas nesta matéria do Estadão.

Via Estadão: http://bit.ly/1YJucMA

Modismo à ferramenta estratégica para as marcas

As mídias sociais ganharam tamanha relevância que passaram a consumir a maior fatia de tempo gasto pelas pessoas na internet. É um ambiente em que um número cada vez maior de pessoas interage, expõe sua opinião sobre produtos e serviços.

O conceito de Mídia Social vem da produção de conteúdo descentralizada, ou seja, sem o controle de grandes potencias da mídia. Vamos dizer que é ter o próprio veiculo de mídia.

E isso é ótimo para micro, pequenos, médios empresários e profissionais liberais, pois se a mídia é sua então você não precisa gastar nada para divulgar o que quiser nela.

Quando uma pessoa ou empresa usa uma Rede Social ( Blogs, Facebook, Orkut, Google+, Twitter, Linkedin, YouTube, SlideShare e etc ) para veicular e propagar suas idéias, produtos ou serviços.

Ela está usando uma ferramenta de Mídia Social, pois o conteúdo por ela produzido independe da aceitação de um veículo de Mídia.

PORQUE É IMPORTANTE ESTAR NESTA MÍDIA?

Bem, a princípio porque as pessoas estão lá e estão falando de tudo, até mesmo de produtos/serviço relacionados aos seus ou talvez da sua marca ou de você ( caso seja um profissional liberal ).

O importante nisso tudo é a possibilidade de coletar informações do seu público-alvo para melhorar seus produtos/serviços e também interagir diretamente por um canal gratuito, gerando um relacionamento.

O que faz uma empresa crescer verdadeiramente é o relacionamento com o seu público-alvo, por isso as redes sociais se tornam mais importantes ainda, pois este é um meio que potencializa o relacionamento com clientes.

SE RELACIONANDO COM SEU PÚBLICO-ALVO

Apenas estar presente nas redes sociais não é o bastante, você tem que falar e ouvir.

Ouça o que seus clientes têm a dizer e você irá crescer, lembre-se os seus clientes entendem mais do seu negócio do que você.

Fale sobre coisas que o seu público se importa e que esteja em conexão com o tipo de produto ou serviço que você vende.

Um exemplo, se você for um dentista poste coisas relacionadas a saúde bocal, coisas que podem ser feitas no dia-a-dia das pessoas e que fará diferença, seja útil ao seu público.

Relacionamentos nunca são fáceis esses também não serão, qualquer coisa errada pode sempre voltar contra você mesmo

Por isso é muito importante estar atento ao que irá ser compartilhado com as pessoas e principalmente entender profundamente os seus seguidores.

O mais importante de se relacionar, é que, esses relacionamentos com certeza irão virar aumento em vendas, pois clientes satisfeitos voltam para comprar e ainda vão lhe indicar aos amigos deles.

ALGUMAS MÍDIAS SOCIAIS

Existem alguns tipos de Mídias Sociais, como por exemplo:

  • Blogs: São páginas na internet voltadas para a disseminação de pensamentos, mas as empresas podem se apoderar desta ferramenta para se relacionarem com o público-alvo que ela almeja, trabalhando o SEO para alcançá-los.
  • Redes Sociais: São sites de relacionamento ( Facebook, Orkut, Google+, etc ) são ótimas ferramentas de divulgação e “viralização”, ficam ainda mais poderosas quando são usadas junto com um Blog.
  • Redes Sociais de Conteúdo: São muito parecidas com as redes sociais normais, apenas focam mais na criação e no compartilhamento de conteúdo, como YouTube, SlideShare, Flickr, etc.
  • Microblogs: Estas mídias sociais são voltadas para o compartilhamento de conteúdo de forma mais rápida e concisa. ( Twitter, Tumblr, Pownce )
  • Mundos Virtuais: Uma Mídia Social ainda pouco explorada, são os simuladores da vida real como o Second Life.
  • Jogos Online: É uma forma muito nova de Mídia Social que ainda não está sendo totalmente explorada. Exemplo World Of Warcraft.

MINHA DICA

Essa é a dica que eu deixo para você:
Use as Mídias Sociais, planeje-se antes, para que não vire um pesadelo.

 

 

Vírus no Facebook rouba mais de 10 mil contas; brasileiros são os mais afetados

Em apenas dois dias, um ataque de phishing realizado por meio do Facebook fez mais de 10 mil vítimas, cerca de 37% (3700) das quais são brasileiras, segundo a empresa de segurança digital Kaspersky Labs. Trata-se de malware (arquivo malicioso) que usa a rede social para se disseminar e roubar as contas e dados pessoais dos usuários.

Os brasileiros são os mais afetados:

[sociallocker]

04111104738074

Os usuários da rede social recebiam uma notificação dizendo que um amigo seu havia mencionado-os em um comentário de um post. A notificação, no entanto, era enviada por invasores e desencadeava um ataque em duas fases. Na primeira delas, o computador do usuário recebia um trojan que instalava, entre outras coisas, uma extensão do navegador Chrome no computador do usuário.

Reprodução

A segunda fase começa quando o navegador infectado acessa o Facebook. Nesse momento, os invasores conseguiam usar a extensão maliciosa para tomar controle da conta do usuário. Feito isso, o malware podia alterar configurações de privacidade, extrair dados e realizar atividades estranhas nos perfis dos usuários, como enviar spam e produzir curtidas e compartilhamentos fraudulentos.

Brasileiros foram, de longe, o público mais afetado pelo ataque. 37% ds vítimas detectadas nos últimos dois dias foram do nosso país. Outros países que também tiveram grande número de pessoas atingidas foram Polônia (8%) Peru (7%) e Colômbia. Usuários de Windows, tanto em PCs quanto em dispositivos móveis, foram as principais vítimas do ataque; os sistemas Android e iOS estão imunes ao ataque, pois a biblioteca usada pelos criminosos é incompatível com esses sistemas.

Prevenção

A Kaspersky também recomendou uma série de medidas por meio das quais usuários podem se proteger de ataques desse tipo. A empresa recomenda a instalação de programas de segurança, mesmo que gratuitos, e cuidado ao navegar nas redes sociais. Outras medidas sugeridas são a alteração das configurações de privacidade do Facebook para as mais restritas possíveis e evitar ao máximo clicar em links enviados por estranhos ou em mensagens suspeitas.

Para os usuários que acreditam que tenham sido infectados, a empresa recomenda a execução de um escaneamento contra malwares. Além disso, é possível abrir o Chrome e buscar por extensões desconhecidas. Caso arquivos nocivos ou extensões estranhas sejam encontradas, a Kaspersky sugere que o usuário desconecte completamente seu computador da internet e chame um profissional para removê-los.

Tanto o Google quanto o Facebook já tomaram medidas para atenuar o problema. O Google excluiu da Chrome Web Store pelo menos uma das extensões criminosas associadas ao ataque. A rede social, por sua vez, conseguiu bloquear as técnicas de propagação do malware pelos PCs infectados, e disse à empresa que não observou outras tentativas de infecção.

“Os cibercriminosos estão aproveitando o fato de que os usuários tendem a usar a mesma senha em vários serviços baseados na web (Facebook, Gmail, Corporate SSL VPN, Outlook Web Access, etc) para obter acesso remoto a redes corporativas”, disse a Seculert.
Vírus no Facebook não é novidade. De acordo com um relatório publicado pela empresa a rede social encontrou problemas em logins de 600 mil contas comprometidas a cada dia.

Veja mais em Olhar Digital: http://goo.gl/KmK4QU

[/sociallocker]